Juazeiro do Norte: Sindicato dos Servidores Municipais reforça luta contra projeto de Bolsonaro

Juazeiro do Norte: Sindicato dos Servidores Municipais reforça luta contra projeto de Bolsonaro

O Sisemjun empossou a nova diretoria na sexta-feira (27), em solenidade na Câmara Municipal de Juazeiro do Norte.

O Sindicato dos Servidores Municipais de Juazeiro do Norte-CE (Sisemjun) empossou sua nova diretoria na última sexta-feira (27), em solenidade realizada na Câmara Municipal de Juazeiro do Norte, onde estiveram presentes ou enviaram vídeos para homenagear a vitória da chapa dos trabalhadores, representantes de diversos sindicatos, centrais sindicais, lideranças partidárias e representantes do Coletivo de Aprovados no Concurso de Juazeiro, coletivo criado para cobrar que a Prefeitura convocasse os aprovados no último concurso.

As falas tematizaram a história do Sisemjun e a importância da unidade da luta contra a reforma administrativa e pelo “Fora Bolsonaro”. “O Sindicato dos Servidores Municipais de Juazeiro do Norte se somou a luta dos concursados pela convocação imediata dos aprovados, sua contribuição foi essencial para nossa vitória”, ressalta Carolina Costa, representante do Coletivo de Aprovados.

Toinha, como é conhecida Antônia Gomes, do Sindicato dos Empregados no Comércio de Juazeiro do Norte, relembra o papel do Sisemjun no apoio aos trabalhadores do comércio em 2001, quando o sindicato deles havia sido tomado por uma gestão “chapa branca”, a serviço da Prefeitura. Ela recorda que foi o Sisemjun quem se juntou e apoiou com estrutura e com seus dirigentes para a recondução do Sindicato dos Comerciários para as mãos dos trabalhadores.

O professor e ex-vereador, Fábio José, um dos fundadores do Sindicato em 08 de dezembro de 1988, por vídeo relembrou a trajetória e a importância da atuação dos sindicalistas na construção do Brasil e convocou a gestão empossada e as bases do Sisemjun a se somarem nas lutas contra a reforma administrativa e em defesa do Brasil, contra o bolsonarismo.

“Nós fazemos parte de uma diretoria e de um conselho fiscal diverso e plural”, afirma Ana Paula, uma das dirigentes empossadas do Sindicato, e reforça que há algum tempo vinha sendo construída as condições para garantir a equidade de gênero na diretoria, e complementa que “estaremos ao lado das companheiras nas lutas, mas sabendo que temos um desafio, que é os servidores e as servidoras atuando dentro do sindicato.”

Em sua fala, Marcelo Alves, presidente reeleito do Sisemjun afirmou que o país está passando por momentos difíceis. Nos últimos 5 anos, de acordo com ele, a sociedade civil, o povo mais necessitado, a classe trabalhadora tem tido de forma recorrente ataques aos direitos sociais e aos direitos trabalhistas. “No momento a pauta da vez do governo Bolsonaro é atacar o funcionalismo público, por meio de um ataque frontal a estrutura dos serviços públicos em nosso país. Com a proposta de reforma administrativa em discussão e tramitação no Congresso Nacional, haverá uma inversão da política estatal, o que hoje é dever do estado a nível de saúde e educação passará a ser complementar e dentro dessa perspectiva não seria necessário mais a estabilidade funcional dos servidores públicos”, explica Marcelo Alves. Ele reforça que é só com autonomia do sindicato e estabilidade do servidor que se pode fazer o enfrentamento aos ataques que a classe trabalhadora tem sofrido, seja do governo Bolsonaro seja do governo Gledson, que está inserido no bolsonarismo.

Para receber nossas matérias diretamente no seu celular clique aqui.

Edição: Francisco Barbosa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *