Artistas e intelectuais unidos em apoio à democracia e Lula – Fetrace
Desde o golpe, País está num abismo e não há mais democracia
janeiro 17, 2018
Contracs realiza oficina de Reconstrução e Organização Sindical na Fetrace
janeiro 23, 2018

Artistas e intelectuais unidos em apoio à democracia e Lula

Nesta quinta-feira (18) tem ato em São Paulo em defesa do direito de o ex-presidente ser candidato nas eleições de outubro, a exemplo de atividade realizada no Rio de Janeiro esta semana
Nesta quinta-feira (18), artistas, cineastas, intelectuais, escritores e personalidades do mundo esportivo estarão reunidos em São Paulo, no Ato “Pela Democracia e pelo Direito de Lula Ser Candidato”. A atividade, que contará com a presença do ex-presidente, acontece na Casa de Portugal, às 19 horas, e reunirá centenas de pessoas do campo “da cultura e do pensamento”, como explica a organização do evento.

Na noite desta terça-feira (16), no Rio de Janeiro, Lula também se reuniu com artistas e intelectuais. Participaram do ato cerca de 900 pessoas, entre elas a cantora Beth Carvalho e o cantor Otto, os atores Bemvindo Sequeira, Osmar Prado, Tonico Pereira, Herson Capri, Bete Mendes, Cristina Pereira, Dira Paes, Aderbal Freire-Filho, e a filósofa Márcia Tiburi.

Os dois atos se somam à agenda de ações em todo o Brasil em defesa da democracia e do ex-presidente Lula, que terá seu recurso contra a condenação imposta pelo juiz Sérgio Moro julgado no próximo dia 24, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre.

Segundo o ator e diretor teatral Tadeu di Pietro, um dos organizadores da atividade na capital paulista, o evento “não é só por Lula, mas pela cidadania, porque qualquer um de nós pode ser vítima desta Justiça que está conspurcada”.

“Queremos trazer uma reflexão maior e mais argumentos sobre o que está acontecendo no Brasil. Nosso objetivo não é estimular o ‘Fla-Flu’ político, mas contribuir para que a sociedade entenda que os argumentos e fatos utilizados na condenação do ex-presidente Lula podem vitimar qualquer cidadão, que pode ser processado por um juiz que é seu desafeto (ou desafeto de seu grupo). Se não reagirmos, todos estaremos no mesmo cadafalso”, argumenta Tadeu di Pietro.

Entre as centenas de pessoas que já confirmaram a participação e as que ajudam a organizar o evento em São Paulo estão nomes como o do escritor Raduan Nassar, da poetisa Alice Ruiz, dos cineastas Tata Amaral, Toni Venturi, Laís Bodansky e Sérgio Machado, dos cantores Ana Cañas e Renato Braz, dos atores Débora Duboc e Sérgio Mamberti, da curadora de artes Solange Farkas, dos jornalistas Juca Kfouri e Fernando Morais, do artista plástico Sérgio Fingermann, da socióloga Maria Victoria Benevides, do jurista Fábio Konder Comparato e do embaixador Celso Amorim.

Di Pietro informa que a ideia dos dois atos surgiu no início deste ano, quando a classe artística – que já vinha se mostrando indignada com os rumos do Brasil e da Justiça – resolveu se envolver mais diretamente na luta em defesa da democracia.

Um grupo de artistas, inclusive, já havia divulgado, nos primeiros dias de 2018, um vídeo defendendo o direito de o ex-presidente Lula ser candidato nas eleições de outubro. Entre eles, estão Osmar Prado, Tonico Pereira, Chico César e Maria Casadevall. Confira abaixo.

Lula no Rio de Janeiro
No ato desta terça-feira (16) à noite, Lula reiterou: “Espero que os juízes do Tribunal leiam a sentença e, com base no que está escrito na minha defesa e nas provas, tomem a decisão. É a única coisa que eu peço. E que não tentem tomar decisões políticas para condenar um inocente”.

E artistas como o ator Gregório Duvivier lembraram o caráter do evento: “Não estou aqui em defesa de um ser humano e sim de um país inteiro e de todas as pessoas que são presas injustamente. Isso não quer dizer que vou votar nele, mas que eu quero poder decidir em quem eu vou votar”.

Farol para reconquista da cidadania
“Temos acompanhado a Operação Lava Jato e, à medida que foi ficando cada vez mais claro o seu caráter discricionário, com fins políticos, e que os vícios do processo contra Lula ficaram mais evidentes, os artistas entenderam que era preciso reagir”, explica Tadeu di Pietro, ao falar do caráter do evento e ressaltando que o papel dos juristas tem sido fundamental para esclarecer e conscientizar a sociedade sobre o que está ocorrendo.

O ator e diretor teatral considera o momento do País muito delicado: “Se na época da ditadura se usava a força bruta contra cidadãos que pensavam diferente, agora submetem os cidadãos a julgamentos, prisões e condenações não calcados na lei, mas pelo o que o juiz interpreta da lei, a seu bel prazer”.

“Se a lei valesse para todos, Aécio Neves não estaria livre nem Michel Temer seria presidente”, assinala ainda, se referindo ao senador do PSDB-MG, denunciado por corrupção.

Ele avalia que, se a população não reagir, “a ditadura da toga partidária” pode avançar ainda mais contra todos os que lutam pela cidadania e contra os cidadãos comuns, que são vítimas da manipulação midiática em curso imposta pelo grupo que está no poder.

“Isso se soma a ataques como a reforma da Previdência Social – que vai atingir em cheio os trabalhadores –, contra cidadãos comuns que pagam seus impostos. Michel Temer e a mídia querem convencer que são as aposentadorias que estão falindo o Brasil, enquanto perdoa dívidas de bancos, do agronegócio, das transnacionais, e dá isenção de mais de um trilhão de reais em impostos às petrolíferas”, destaca o ator.

Tadeu di Pietro reforça que o ato “Pela Democracia e pelo Direito de Lula Ser Candidato” não será um comício eleitoral, mas uma manifestação em defesa do direito de Lula ser candidato. “Será um farol para ajudar a iluminar o caminho da reconquista da cidadania, da luta pela Justiça efetiva e não seletiva e pelos direitos civis”.

Confira as próximas ações que estão sendo organizadas pela CUT, pelas principais centrais sindicais, pelos movimentos sociais e as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo:

– 20 de janeiro, em Porto Alegre: início dos acampamentos dos Movimentos Sociais

– 22 de janeiro, 10h, em Porto Alegre: Conferência Internacional dos Partidos de Esquerda em Porto Alegre, na FETRAFI.

– 22 de janeiro, 18h, em Porto Alegre: Grande ato com Juristas em defesa da Democracia em Porto Alegre

– 22 de janeiro, 20h, em Porto Alegre: Sarau das Juventudes no acampamento dos Movimentos Sociais

– 23 de janeiro, em todo o Brasil: Mobilizações de denúncia e pressão sobre o judiciário e a mídia golpista

– 23 de janeiro, 9h, em Porto Alegre: das Mulheres pela Democracia com Dilma em Porto Alegre, no Auditório Dante Barone na Assembleia Legislativa do RS

– 23 de janeiro, 14h, em Porto Alegre: Ação Global Anti-Davos Auditório Dante Barone na Assembleia Legislativa do RS

– 23 de janeiro, 16h, em Porto Alegre: Concentração para a Grande Marcha na Esquina Democrática (Centro de Porto Alegre) e Ato político cultural, encerrando com o início da vigília

– 24 de janeiro, em todo o Brasil: Vigília, atos e mobilizações populares em todo o Brasil

(em São Paulo, ato será na Avenida Paulista, a partir das 14h e deverá contar com a presença de Lula às 18h)

– 24 de janeiro, em Porto Alegre: Vigília e ato público em frente ao TRF4

*com informações da Agência PT de Notícias

Os comentários estão encerrados.