Advogados populares entram com ações pela suspensão da nomeação da nova ministra do Trabalho – Fetrace
Desejamos a todos um Feliz Natal!
dezembro 22, 2017
SEC Fortaleza: Inscrições abertas para cursos de Informática básico e avançado
janeiro 8, 2018

Advogados populares entram com ações pela suspensão da nomeação da nova ministra do Trabalho

Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

Membros do Movimento dos Advogados Trabalhistas Independentes (Miti), do Rio de Janeiro, entraram com ações em diversas comarcas contra a posse da nova ministra do trabalho, Cristiane Brasil. Entre eles, encontra-se o advogado Carlos Alberto Patrício de Souza, que defendeu um dos motoristas que não teve a carteira de trabalho assinada por Cristiane.
O motorista Leonardo Eugênio de Almeida Moreira, que foi representado por Carlos Alberto, fez um acordo na Justiça do Trabalho no valor de R$ 14 mil em dez parcelas. Segundo divulgado pelo O Globo, as parcelas do acordo estão sendo pagas pela assessora da deputada federal.
O Sindicato dos Advogados do Rio de Janeiro lançou uma nota contra a nomeação da nova ministra. Veja a nota:

O Sindicato dos Advogados-RJ manifesta, publicamente, sua indignação e repúdio à nomeação da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério do Trabalho do governo golpista de Michel Temer.
Esta nomeação é um deboche contra milhões de trabalhadores brasileiros, que têm seus direitos trabalhistas, hoje, ameaçados por uma reforma que Cristiane Brasil ajudou a aprovar.
Mas o pior de tudo é a nomeação para ministra do Trabalho de uma cidadã que não observou os direitos trabalhistas mais elementares de dois de seus empregados, sendo pessoalmente processada na Justiça do Trabalho. Foi condenada em um dos processos e ainda não pagou, sendo que no outro fez um acordo reconhecendo em Juízo o vínculo de emprego.
Desta forma, com que autoridade alguém que desrespeita os mais elementares direitos trabalhistas pode coordenar os fiscais do Trabalho de todo Brasil?
A nomeação de Cristiane Brasil é um tapa na cara de toda a sociedade brasileira!
Esperamos que a OAB-RJ e outras entidades do mundo jurídico se juntem a nós para exigir a imediata exoneração desta inimiga dos trabalhadores e da Justiça do Trabalho.
Diretoria do Sindicato dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro”

Foto: Agência Brasil

Os comentários estão encerrados.